Hannah Arendt e o julgamento líquido

Em 1962, Otto Adolf Eichmann,  alto oficial nazista, era julgado no tribunal de Israel por crimes contra a humanidade, dentre outras acusações. A audiência tomava uma proporção sensacionalista com precedentes de fúria, por parte do povo oprimido na época, em sua maioria, os judeus.   A imprensa do mundo todo ganhava cadeira cativa para acompanhar de perto … Continue lendo Hannah Arendt e o julgamento líquido